Banner
Banner
Banner
Banner
Notícia
Soul Cycles lança linha 2015 totalmente reformulada na Brasil Cycle Fair‏
foto da noticia
A Soul Cycles, uma das principais montadoras de bicicletas esportivas e de lazer do País, está lançando na Brasil Cycle Fair, maior feira do segmento de bikes da América Latina, no Expo Center Norte, uma linha totalmente reformulada, com 50 modelos inéditos para montanha, estrada e passeio, incluindo as versões Magma e 3R3 disc, entre os destaques. O design arrojado das novidades do estande da Soul Cycles atraiu a maioria dos visitantes, neste domingo (28), no centro de exposições, que fotografou as novas bikes incessantemente e ainda teve o privilégio de conversar com o paraciclista de estrada Jefferson Spímpolo e com os irmãos Guilherme e Ronny Renke, ciclistas de enduro. Nesta segunda-feira (29), outros atletas patrocinados pela Soul Cycles estiveram no estande: Raíza Goulão, a brasileira mais bem colocada no ranking mundial de mountain bike; Igor Laguens, ciclista de longas distâncias; além do triatleta Xan Figueiredo e do competidor de estrada Sylvio Sá Oreggia. "O principal desenvolvimento da Soul para a linha 2015 foi a atualização dos quadros e reposição dos freios traseiros, para garantir a eficiência. A partir da linha 500, adotamos os tubos cônicos, o que aumenta a rigidez e anula a torção do quadro. Para a 700 em diante, a tubulação ficou mais leve para reduzir o peso da bicicleta", explica Christian Anderson, responsável pelo Soul Labs, laboratório de pesquisa e desenvolvimento da Soul Cycles. Modelos de alta performance - A Magma full suspension passa a contar com suspensão traseira. A geometria do quadro foi desenhada exclusivamente para montanha e cross country e pesa menos de 10 quilos. "É uma bike produzida para suportar as irregularidades do relevo. A suspensão traseira veio para oferecer conforto e, assim, poupar o ciclista nos trechos mais árduos", comenta Christian. É equipada com quadro Soul full suspension TPR in board com 100mm de curso moldado em fibra de carbono UD, com eixo traseiro 142 x 12 e suspensão Rock Shox Reba de 100mm, com eixo de 15mm, grupo de peças Shimano que mescla componentes XT e SLX e rodas Shimano MT66 29 com pneus Rubena. A 3R3 é para quem gosta de "voar baixo". Desenvolvida para se pedalar em alta velocidade, tem a geometria certa para obter o máximo proveito de uma bicicleta. O conjunto, quadro e garfo Soul TPR, é produzido em fibra de carbono UD com peso muito baixo e alta rigidez lateral, transmitindo à roda traseira toda a energia que o ciclista põe nos pedais. Seu grupo de peças SRAM Red de 22 velocidades e de peso também muito baixo é acompanhado por um par de rodas Mavic KSYRIUM SL S 23, muito bem calçado por leves e aderentes pneus Rubena. Canhão das estradas - A 3R3 disc é a primeiro Road com freios a disco, partindo de um nível mais alto, com quadro TPR Disc In Board exclusivo e muito leve, além de um grupo completo SRAM Red Disc de 22 velocidades para controlar melhor a bike. Rodas Mavic Ksyrium Pro Disc 25 e pneus Rubena completam a bicicleta, que tem leveza inclusive no grafismo. Essa linha conta ainda com a 3R3 Ultra Light, pesando apenas 6,4 quilos, 700 gramas a menos do que a 3R3 disc. "É o nosso canhão. Tem todas as características de uma bike que está pronta para ser campeã mundial", resume Christian. "A Soul Cycles não se cansa de buscar o novo, a diferença, a identidade. Procuramos sempre melhorar nossas bicicletas, estudando a ‘geometria’ do corpo humano para criar a da máquina, como sua extensão. Estamos lançando novos modelos na Cycle Fair para serem utilizados na terra, no asfalto, na cidade e estrada, atendendo a todos os públicos, desde quem vai apenas à padaria até quem vai correr em um campeonato mundial", afirma Christian. "O grande desafio é 100% de qualidade. A Soul não está medindo esforços para oferecer a bicicleta que não quebra nunca". Campanha paraolímpica - O paulista Jefferson Spímpolo, integrante da seleção brasileira paraolímpica de ciclismo, passou o domingo no estande da Soul Cycles acompanhando os lançamentos da marca que o patrocina e atendendo ao público. Ao lado da marca desde 2010, o atleta viu sua carreira ganhar um novo rumo. Foi Top 12 nos três últimos mundiais em sua categoria preferida, estrada, e ainda saltou de 23º em 2013, para 14º em 2014, quando passou a competir com a bike Soul TTR1 no contrarrelógio. "O paraciclismo do Brasil ainda não atingiu o mesmo nível internacional de modalidades como natação e atletismo porque são poucos os praticantes. Há alguns anos era ainda pior porque havia também dificuldade com o equipamento. Hoje, a bike nacional não deve nada às de fora. O investimento da Soul é um dos motivos dessa evolução recente", atesta Jefferson, registrado na Soul Cycles como funcionário. Além de pedalar, ele trabalha no desenho das bikes. "Sempre gostei de pintar as bicicletas que levo às competições. Desenho no computador e depois vou aplicando no quadro. Faço a mais de dez anos. Fui eu que pintei as primeiras bikes produzidas pela Soul", conta o atleta que tem uma perna mais curta e está em campaha para o Parapan de Toronto em 2015 e para os Jogos Palímpicos Rio 2016, ambos na categoria C3. Jefferson compete com pedivela adaptado. Pilotos de teste - Os irmãos Renke, Guilherme e Ronny, também trocaram experiência com os visitantes do concorrido estande da Soul Cycle na abertura da Brasil Cycle Fair, único dia destinado ao público. Patrocinados pela marca, ambos estão entre os três primeiros na classificação geral do Shimano Brasil Enduro Series, que terá a última etapa da temporada no início de novembro em Campos do Jordão. Eles apresentam o programa Poeira às quartas-feiras, às 18h15, no canal Wohoo. "Sempre que existe uma bike nova a Soul Cycles nos chama para testar. É um privilégio", afirma o engenheiro em computação Ronny. "Depois que nos formamos e começamos a exercer nossas profissões ficou mais difícil competir. Nem sempre é possível viajar. Então, mantivemos algumas competições de enduro e começamos a difundir o cicloturismo em lugares inóspitos, assim continuamos pedalando e aproveitamos para gravar o programa", soluciona o cardiologista Guilherme.
Logo Canal do Ciclista
Logo Agência Super